Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o Homem Certo

Teatro -Os espectaculos da minha vida e afins

Eu a Cláudia e o Ricardo escolhemos este tema para mais uma vez escrevermos, dia dez às dez horas o #comcanela.

 

A minha paixão pelo teatro nasceu no dia em que fui ao Maria Matos ver o Alibaba e os 40 Ladrões, era pequeno, cheguei a casa e debitei a história toda ao primeiro que aparecesse.

Mais ao menos na mesma altura começou a dar na RTP 1 a Grande Noite estamos em 1992 e eu tinha 8 anos.

 Todas as semanas gravava, via e revia vezes sem conta, e fazia os sketches lá em casa, e quando descia as escadas e ninguém estava a ver, descia-as a cantar a musica do genérico como via no programa.

Depois com o tempo liguei menos ao teatro, gostava na mesma, mas os meus pais não me levavam ao teatro, e só ia em visitas de estudo. Comecei a interessar-me mais por cinema.

Depois morreu Amália Rodrigues e Lá Féria fez o Musical, não o vi ao vivo mas vi algumas vezes em DVD, a partir daí voltou o bichinho e comecei a ir ao Teatro sempre que podia.

A partir do espectáculo A Gaiola das Loucas nunca mais perdi nenhum espectáculo do Lá Feria. Houve uns que repeti até.

Uma noite em casa de Amália vi seis vezes, já sabia algumas partes de cor.

 

Sou muito critico naquilo que vejo, ás vezes sou chato comigo mesmo, quando fui ver Uma Noite em Casa de Amália passei os  primeiros 30 minutos a pensar isto não foi assim, aquilo ali está mal a casa não é assim, a outra faz mal. Só na segunda vez me deliciei de verdade.

 

Vejo tudo, desde peças no Politeama, ao palco do Casino, ao Teatro Aberto  ou Turim ao Teatro Nacional D. Maria II, que normalmente são peças enormes, seja drama, comedia, monólogos, musicais, do mais clássico, ao mais moderno. Não aprecio muito Revista à Portuguesa. E não costumo ir ver teatro amador.

 

Como isto já está longo vou resumir:

Os espectáculos que mais Gostei foram:

 A Gaiola das Loucas

.Judy Garland - O Fim do Arco-Íris Chorei baba e ranho a ver a Vanessa Silva a interpretar Judy Garland, e eu que não gostava da actriz passei a ama-la.

O preço

A noite

A Bela e o Monstro - Era um espectáculo infantil, mas tão bem feito que senti-me totalmente um miúdo, e passei o espectáculo todo babado de lágrimas e ranhoca.

Quem tem medo de Virginia Woolf - Uma peça longa, se bem me lembro, três horas, é de ficar com o rabo quadrado, mas foi ver um filme no teatro, foi tudo muito bom, menos as cadeiras.

MARY POPPINS, a mulher que salvou o mundo - Uma peça curta, genial que ainda hoje penso nela e que fez rir do principio ao fim, ao mesmo tempo ridícula, certa e irreverente.

 

Já vi muitos actores uns melhores outros piores, génios da representação, já vi de todos os tipos.

Não posso deixar de escrever que a minha actriz preferida é Ana Guiomar, acho que a vi sempre no Teatro Aberto e surpreende-me sempre, transforma-se e vive a personagem, será daqui a uns anos a maior do teatro se a souberem valorizar.

 

Não queria dizer a pior que vi, mas vou contar a que gostei menos, porque não me disse nada, não gostei e foi quase tempo perdido, se calhar pela péssima adaptação, ou original também era mau:  Tomorrow Morning – Um Novo Dia.

Custou-me imenso ver o Coriolano, apesar de os actores serem bons e a história um dramalhão, parecia que nunca mais acabava.

Tive em salas enormes, pequenas, com cheiro a mofo, ou a naftalina dos casacos das velhas, com salas cheias ou apenas 6 espectadores, já vi actores e actrizes nuas e a cuspirem gafanhotos cada vez que falavam. Já vi mais de 60 pessoas em palcos e outras com apenas um.

Chateia-me imenso: as pessoas falarem durante o espectáculo (como quando estão e casa), mexerem no telemóvel, baterem palmas antes dos actos acabarem, principalmente quando são musicais, é que não se ouve, se baterem palmas, está bem? 

 

O que cativa e amo é sentir ali, mesmo à frente, tudo o que os actores sentem, e viver com eles as suas histórias, e nesse momentos sermos eles e viver ali com eles os seus dramas, angustias e felicidades.

 

 

Já não tenho idade para isto

Sexta-feira é sempre um dia ocupado.

Sou animador num curso chamado Alpha, que pertence à Igreja Católica, um dia conto melhor, é um conceito muito giro, há ainda muita gente que não conhece, começa as 8 e acaba lá para a meia noite.

Normalmente neste dia da semana faço tudo a correr para estar pronto às 8.

Além do curso tinha uma festa de aniversário, pensei ao longo do dia se iria ou não, estava super cansado, na quinta tinha ido ao Teatro, deitei-me tarde, mas não podia faltar.

Fui ter com eles à discoteca, lá me consegui animar e diverti-me imenso. Não queria ficar até tarde porque hoje tinha de me levantar cedo.

Por volta das quatro e meia comecei a despedir-me do pessoal, e sair, porém deram-me um cartão com consumo, tive de falar com A depois era com o B a seguir com o C e já estava arrependido de não ter pago aquela quantia e ter de ficar à espera, mas se a bebida era oferecida, por que pagar, não é? 

Ainda fui levar uma amiga a casa, vai daí deitei-me ás seis, e levantei-me às nove e meia. Ninguém merece. Até estive a manhã bem, mas com uma dorzinha de cabeça.

Enfim já não fazia uma destas há muito tempo, por um lado soube bem, por outro é muito mau dormir pouco.

Hoje tenho outra peça para ir ver. Isto não para. Bora lá.


Se calhar ainda tenho idade para isto, não tenho é ido aos treinos.

Tenho um cão tramposo

Já me tinham dito que os cães de raça pura têm mais doenças que os rafeiros. Eu achavai que não era bem assim.

Quem me disse isto foi o veterinário na primeira consulta. Não liguei nenhuma.

Desde que tenho a Diana anda sempre doente ou tem isto no pelo, ou tem otites ou outra coisa qualquer.

Hoje fiquei a saber que o cão não dobra o joelho, que é defeito de nascença, não há nada a fazer, logo não deve ter  filhos porque provavelmente vão nascer assim também. Vá lá que não lhe dói e ela anda relativamente bem e correr quando lhe apetece.

Tem um problema de pele que é para sempre e tenho de ter cuidado redobrado e tem otite, tem o canal quase obstruído.

Não sei os termos técnicos porque houve alturas em que deixei de ouvir, só pensava na conta final, e pronto vim com a carteira bastante mais leve e um saco cheio de medicamentos e afins.

 

O Veterinário partilhou comigo que tem um buldogue francês, como o meu e que não lhe tinha conseguido ensinar nada e era um porco autentico, adoptou este cão à força, porque estava gravemente doente e após dez dias de internamento não o foi buscar.

 

Será que me conhecem? - Tag "That's true"

Effy_Edwards desafiou-me para esta Tag. That's true".

Consiste em listar factos verdadeiros e falsos sobre mim e diz no livro das regras deste desafio que se deve nomear 10 blogs e acho que na pagina 46 diz ainda que devem ser nomeados blogs com menos de 200 seguidores.

Seis factos são verdadeiros.

 

1 - Adoro Reis e Rainhas e afins

2 - Quando era pequeno queria ser médico 

3 - A minha maior paixão é o teatro.

4 - Tenho um gato

5 - O meu filme preferido é o Rei Leão

6 - Adoro estar com os amigos

7 - Sou filho único

8 - Quando era criança era gordo

9 - Gosto de me deitar tarde

10 - Odeio vinho tinto

11 - Tenho 3 melhores amigos e 1 melhor amiga

12 - Sou fumador

13 - Comovo-me facilmente

14 - Sou calado

15 - Escrevo Poemas

16 - Guardo todos os bilhetes de espectáculos, museus e teatro.

 

E cá está, se não tiverem mais nada para fazer tentem acertar.

Quem acertar em todas ganha.

 

Desafio 

deliciadeamendoa.

miss x

oinformador

amulherqueamalivros

pequenospedacosdesonho

golimix

lizziebennetauthor

gestoolharesorriso.

E quem mais quiser

 

 

 

Telemóvel sem net

 O meu plano de dados acabou, renova hoje, como acordei em cima da hora, não consegui carregar o telemóvel, vai daí fiquem sem net, claro e descobri que sem net o telemóvel não faz nada de jeito, ou melhor eu não faço nada de jeito sem net no telemóvel.

O meu dia foi mais pobre. Parece mentira mas agarrei 50 vezes no telemóvel e nada, nem mensagens, nem chamadas, nada para me entreter.

 

E foi assim, parece que sou atrasado, mas juro que não sou, sou apenas netódependente