Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o Homem Certo

Não consigo fazer tudo ao mesmo tempo

A vida é injusta. Queria estar no Facebook, ver as fotos no instragam, ver vídeos no snapchat, ler um livro, dar beijinhos no meu amor.

Beber um cerveja de maçã, depois de beber um rose ranhoso, que comprei a pensar que era mesmo bom e ter discernimento para me agarrar à leitura e ter uma conversa decente.

 

Há sempre quem esteja pior do que nós

Depois de ler um comentário da Marta Elle, em que me animava dizendo que devíamos ver sempre o lado positivo da situação, o que é verdade, e que Há sempre quem esteja pior, o que também é verdade... E isso devia ser suficiente para não nos queixarmos, mas as vezes é bom gritar e chatearmos-nos e zangarmos-nos, para depois arrumar as ideias e agir cheios de força.

Mas o que me anima e o que me faz muitas vezes sonhar e ter forças para ultrapassar  as adversidades é olhar para os que estão melhor, os que venceram ou os que lutam. E assim me dá esperança para ter sucesso e ultrapassar todas as barreiras.

 

Apesar disto lembro-me sempre duns versos de Venicius de Moraes

 

Pra que chorar
Se o sol já vai raiar
Se o dia vai amanhecer

Pra que sofrer
Se a lua vai nascer
É só o sol se por

Pra que chorar se existe amor
A questão é só de dar
A questão é só de dor

Quem não chorou
Quem não se lastimou
Não pode nunca mais dizer

Pra que chorar pra que sofrer
Se é sempre um novo amor
Cada novo amanhecer...

 

Um grande beijinho para a Marta

Aumento precisa-se

Pensei neste últimos dias que teria de pedir à gerência um aumento.

Comparando o IRS deste ano com o de à três anos estou a ganhar bem menos, foi a crise que passou e não passa.

Pensei toda semana passada nos argumentos, terça não estava, quarta também não, ontem saquei das armas e conversamos sem rodeios. Directo, já tinha as continhas todas feitas, de quanto precisava ganhar em bruto para receber o liquido que acho justo.

Fez-me aquela conversa do bandido cheio de elogios e considerações, nem que sim nem que não, ia pensar, enquanto ele fazia as suas considerações à cerca do meu trabalho babava-me todo por dentro, cheio de orgulho, a pensar no bom que sou(?), se calhar fiquei desarmado, se foi truque quase que resultava,

Argumentou que pedia muita coisa mais dinheiro e mais contratações, porque preciso, pelo menos, mais dois colegas nas minhas contas, nas da gerência apenas um. Pois é não se pode ter tudo. E há mais pessoas que mereciam aumento, dizia ele, pois é, verdade, concordo plenamente, dizia eu, mas eu falo por mim, e eles falarão por eles, cada um puxa a brasa à sua sardinha.

Muita conversa, saí dali quase na mesma, mas disse o que queria.

No fim disse que se não conseguisse o que propunha, que ia começar à procura a ver a minha sorte noutro lado.

Não era preciso ter-lhe dito, dizia-me, percebeu pela conversa. Ainda bem que nos entendemos. Não me apetecia sair dali, contudo não me apetece ficar com estas condições.

Jantarada

No Sábado foi dia de jantar com amigos o HT foi pela primeira vez.

Doze pessoas sentadas à mesa a conviver. Foi divertido e o menino gostou.

Éramos 12, mas devíamos ser 14, porém só podemos ser 13 porque um já partiu.

Reunimos para celebrar a vida e a amizade.

No começo dissemos umas palavras de amizade, esperança e como é importante celebrar a vida e aproveita-la. E lembrar também o amigo que faleceu recentemente. Uma oração talvez, imagino a cara do HT, quando nos levantamos para fazermos uma pequena oração antes de jantar, ele como não é nada beato, devia ter pensado "onde me vim meter", engraçado que não costumamos começar o jantar assim apesar de sermos todos católicos praticantes.

Estes jantares são diferentes, o pessoal é mais velho. Fala-se de tudo um pouco, contam-se histórias, discute-se opiniões, rimos muito, discutimos também, discute-se religião e afins. É a amizade que nos junta à mesa. Conhecemos-nos quase ao acaso e vamos mantendo contacto para continuarmos amigos.

Tentamos tomar conta uns dos outros. Partilhar histórias e segredos. E assim nos vamos mantendo unidos. Seremos quase uma família daqui para frente.

 

Bebi um bocado, já saí todo torto, estes jantares prologam-se muito cheguei a casa quase às três da manhã e fomos só jantar.

Dormi como um bebe até à uma e soube-me tão bem.

O primeiro

O primeiro encontro é sempre difícil. Não se sabe  que se há de dizer. Exagere se sempre nas palavras, ou quem somos, não sabemos o que o outro pensa.. Temos de ir conhecendo. Há sempre um truque na manga para quebrar o gelo. Ou então conta se uma historia engraçada, que não seja ridícula, apenas divertida.

 

E é assim este primeiro post. Podia dier muitas coisas, mas não sei por onde começar.

 

Sou o Miguel, tenho 30 anos.