Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

o Homem Certo

Os quadros valiosos

A minha mãe trouxe da casa de minha avó dois quadros a óleo gigantes (não são assim tão gigantes, é só para dar envase, têm um metro e meio por um aproximadamente, nunca os medi).

Ninguém os queria, estavam a apodrecer no sótão, ficaram bem cá em casa. Já tinha ouvido a história dos quadros.

Houve um dia, sentado na sala com a mãe, enquanto olhava os quadros, a mãe disse, estes quadros ainda devem valer um bom dinheiro. Bang bang bang, os meus olhos começaram logo a ver notas por todo o lado. Continuou a dizer que o meu avó tinha pagado imenso dinheiro pelos quadros e que os tinha comprado em Espanha, resumindo era isto. Será que são valiosos? Comecei logo a pensar que tinha ali uma fortuna, hum hum, e os quadros agora eram nossos, soltei uma gargalhada maléfica, vamos lá ver, quanto é que isto vale.

Oh mãe e se mandássemos avaliar? Temos de ver isso, respondeu-me.

Comecei logo a imaginar-me na Leiloeira Christie's. E com sorte, sorte reformava-me. Ali fiquei outra vez todo entusiasmado como se tivesse dez anos.

Levantei-me fui ver se estavam assinados, conferia, estavam. Bom sinal, demorei um bocado a decifrar o nome, eram os dois do mesmo pintor, hum hum, nunca tinha ouvido falar dele, vá de pesquisar, era um pintor espanhol, quando fui pesquisar afincadamente, vi vários quadros mas nenhum igual aos meus, ai ai. Mas quando a sorte é muita o azarado desconfia. Continuei a pesquisa e lá estavam os meus quadros numa galeria museu. Por acaso não pesquisei quanto valia o original. Foi uma pena. Tenho duas replicas lindas em casa.

 

Fica a esperança da replica ser valiosa. Dava-me jeito entrar para a reforma mais cedo.

 

4 comentários

Comentar post