Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

o Homem Certo

Frágil, suspenso à tua espera (?)

Eu não sei o que aconteceu em nós, ou o que aconteceu em ti, o que acabou, ou o que nasceu na tua vida.

Sinto que a minha vida está em suspense à tua espera, como a excitação duma espera que o pano do palco, do teatro se abre e me mostre uma historia, e que eu a viva ali, naquela instante.

Assim sou eu sentado a olhar para o monitor dos batimentos cardíacos, a ver se continua, se precisa de reanimação ou que morra.

Estou suspenso, à espera, não sei se de ti, se de mim ou do fim.

Este tempo e este silencio, matam-me um bocadinho, e mata o resto, que assim não cresce. E dá me tempo para pensar, que não sabes o que queres, que tens medo de dar passos largos e importantes, que se calhar não sou o tal, que se calhar não vamos ficar para sempre.

Eu tinha certezas, as vezes caímos e levantamos, e escorregamos e não caímos, os espalhamos-nos ao comprido.

Imperdoável, é  pedires um tempo, silencio, sem pressões. Cresce em mim uma certa raiva.

Desejo que voltes, mas rezo por um ponto final

4 comentários

Comentar post