Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

o Homem Certo

De onde vos escrevo

Estou a passar férias numa aldeia alentejana.

Aqui não se passa nada, e é o bom de aqui estar.

Não há pressas, não há filas, quando as há, por exemplo, na padaria, está tudo à conversa a comentar uma boa nova da aldeia. Aqui todos se conhecem. Venho aqui há muitos anos, mas nunca com os meus pais, então não sabem quem sou ou de onde venho. Isso faz alguma confusão, não olham de lado, mas noto uma curiosidade imensa, não há coragem para o interrogatório, às vezes ouço os comentários em voz baixa.

São muito simpáticos e prestáveis. Um dia precisava de ajuda para me montarem uma antena em casa, a primeira pessoa a quem perguntei se conhecia quem montasse antenas, claro que conhecia, o Zei faz tudo, era primo e tal e tal, estava na vacaria, vinha já. Da última vez que cá estive uma senhora que sabia que não tinha internet em casa convidou-me a utilizar a net em sua casa. Pessoas amorosas.

O meu namorado MR. HT é mais simpático e dado que eu as velhas adoram no e contam-lhe a vidinha toda sem ele perguntar nada, mostram fotos dos netos e tudo.

Quando aqui estou nesta casa, que era pelo menos do pai da minha bisavó, imagino me aqui a viver no meio do nada.

Nesta casa morou a geração da minha avó, morou toda uma família, aqui nasceram as minhas tias avós e cerca de 6 primos direitos do meu pai, incluindo-o. Umas casa pequena cheia de historia, em que hoje nada combina com nada.

Tenho inveja da calma e da serenidade destas pessoas sem pressa para nada, aqui até a senhora do posto de saúde tem tempo para vir à janela cumprimentar as pessoas e desejar as melhoras.

Gostava de viver aqui se o meu trabalho permitisse, tenho a certeza que me fartava em três meses ou talvez não.

As casas são todas brancas, algumas com barras azuis, amarelas ou verdes, de todos os lados se vê campo ao longe, consegue-se ouvir os pássaros de dia, consegue-se ouvir o silêncio e juro que muitas vezes me faz confusão esse silêncio.

5 comentários

Comentar post