Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o Homem Certo

Queres que te inscreva?

Do nada manda-me mensagem.

Mana : Queres que te inscreva no reality show da TVI?

Eu: não!

Minutos depois

Eu: Queres matar a mãe?

Mana: Não. Lol. Mas era giro.

 

Confesso que tenho um certo preconceito em relação a R. Shows mas a ideia ficou-me a bater na cabeça.

Três meses quase sem fazer nada e à boa vida.

A mãe ainda tinha um AVC. Ela que adora e é fã de R. Shows, depois de partilhar as mensagens apenas disse: Não me faças isso. Por favor.

Começar de novo aos 55

A Bibi é uma senhora que conheço desde miúdo. Ela viu-me crescer e eu vi-a ficar mais velha.

Hoje contou-me que se tinha divorciado, que tinha de começar uma nova vida. Que ia ser minha colega de trabalho a partir de Setembro, precisava de dinheiro. A Bibi nunca trabalhou, dedicou-se sempre ao filho, agora o filho já é grande.

Penso que acaba por ser injusto quando as mulheres se dedicam aos filhos e à casa e um dia mais tarde, arrependem-se de não terem escolhido uma carreira, principalmente quando o divorcio acontece.

Ela estava cheia de força e feliz. Por um desafio, por esta vida nova.

Falou me ainda para alem do dinheiro precisava de saúde, dinheiro e saúde porque força e positivismo tem para dar e vender pensei eu, com toda a naturalidade do mundo disse-me que tinha tirado um tumor perto do pescoço, (até ali já sabia), e agora tinham-lhe aparecido uns pontos nos pulmões, tentei ser o mais natural possível, explicou que era um tumor e que esta quarta ia saber se era benigno ou maligno. Aquele à vontade, aquela certeza de que tudo vai dar certo, sem mostrar um pouco de duvida. Dei aquela força, claro que vai, cheio de certeza por fora, por dentro a pensar no pior, e a desejar o melhor.

Acabou dizendo. Vai tudo dar certo porque Deus tem sido bom para mim. E despedimos-nos. E eu penso às vezes que sou um Homem de Fé... se calhar não.

Saí dali quase doente e maravilhado com aquela força e positivismo, alegria que contagiava.

E pensar que às vezes temos medo de tudo, coisas quase sem importância. E estava ali à minha frente uma mulher de 55 com força de uma menina de 18 para recomeçar a vida.

Em África não

Enquanto fazia uns vídeos no trabalho, para brincar no snapchat, uma colega começou-me a questionar o que estava a fazer. Expliquei-lhe em tom de brincadeira, que estava a tirar fotos para colocar a secretária e PC à venda no OLX, incluindo a minha colega, depois disse-lhe que ia vender a empresa a africanos e perguntei:

 - Não querias ir para África? Dizem que é bom...

 - Nãooooooooooo queria ir era para a América.

 - Ahhhhh pouco esperta, olha eu cá queria, podia ser um país qualquer...

 - Olha o Zé Luís é que queria abrir uma empresa na África... Não... Não, em Angola.

Comecei-me a rir, - não era em África? Tens a certeza.

- Não! Era em Angola!

- Tens a certeza?

- Sim pá, era Angola.

- Ah pensei que Angola ficava em África - Brinquei

Ela pensou meio baralhada, e respondeu

- Nãooooooo fica nada

Mais um

Cheguei a casa, agarrei no cão, fui passear. Voltei a casa, deitei-me avaliei o meu dia.

Igual aos outros. Quando é assim já não é mau.

Ando perdido nos lugares que conheço, sinto-me só mesmo bem acompanhado.

Queria chegar aqui e contar as piadas do dia-a-dia. Só que este dia foi tão... Chato!

Deambulei pelo trabalho e diverti-me a chatear os outros. Fui pouco produtivo, tenho sido tão mau que ainda levo cartão amarelo.

Ontem fui jantar com o Humberto bebemos sangria ao jantar, divertimos-nos. Sabemos entreter-nos. Sabemos ser miúdos quando queremos, sonhamos alto juntos, fazemos planos de viagens, planos do euromilhões se saísse, planos de noitadas, planos. Falamos do passado do presente e do futuro. Ontem esqueci-me do que me chateia, que ainda não descobri ou não quero descobrir.

Há quem diga que é preciso perder-se para se encontrar.

Preciso de me perder outra vez.

Apenas assim

Não sei porque me amarga a boca. Não sei de onde vem esta tristeza de estar triste.

Caminho e tanto me sinto alegre e depois qualquer coisa me entristece.

Nada me cativa e nada me apetece a não ser estar deitado a olhar o teto.

Consigo fingir a alegria e esconde-la.

Sei que o amanhã virá cheio de oportunidades, silêncios, risos ou choros, mas como homem de fé, sei que será melhor do que o de hoje (apesar de o dia de hoje ter sido muito bom, e amanhã vou trabalhar e é segunda, tenho duvidas...).

Não tenho nada para estar triste, paralelo a isto, até me sinto feliz, estou só a fazer uma pausa para me sentir triste. Ou será que é uma pausa para me sentir triste, para a seguir conseguir perceber que estou feliz?

Quem me dera ser tolo.

 

Lembrei-me agora, a ida ao WC

Nos letreiros das casas de banho, quando não tem símbolos que identificam o WC, muitos dos quais quase não se percebe, para Homens e Mulheres.

Normalmente o WC masculino aparece escrito Homens e na das Mulheres SENHORAS, nunca vi escrito senhores.

E tenho ideia que já vi a versão inglesa Men e Ladies

Os Homens nunca são senhores na hora de ir à casa de banho. É só porque fazemos xixi de pé?

 

Era só isto.

Coisas da vida, que é como quem diz, não sei que titulo dar

Tenho respondido a anúncios de emprego e ainda não fui a nenhuma entrevista.

Desde domingo que ando para começar a ler o 9ª livro da guerra dos tronos e ainda não comecei.

Vi o Ted 2 e achei fraquinho.

Vi o primeiro episodio da season 2 do The Strein, e gastei tempo.

Ando cansado. Hoje cheguei a casa eram 20.00 horas, isto é que é trabalhar.

Amanhã tenho a confirmação se consigo fazer mais um negocio, se conseguir, bato o meu record e o mês ainda não acabou. Cheio de confiança.

Hoje acordei a pensar que era quarta.

Andei no mega carro do Bigodes, fartei-me de andar a fazer boa figura. Fartei-me de aturar o Bigodes.

Se calhar quinta vou ao teatro, nada como uma ida ao teatro para lavar a alma e viver outra vida por uns tempos.

E basicamente é isto.

Ah não tenho tido muito tempo para lazer. Vá o Domingo não conta.

Estou naqueles dias em que me apetecia beber uma garrafa de espumante doce sozinho, mas não há.

 

 

O diz que disse

No trabalho:

A história é tão absurda que eu nem apetece contar hoje. Mas é daquelas histórias do diz que disse. Comigo no meio. E vinha um e perguntava, e vinha outro e comentava com outro, para esse outro perguntar e dizer o que eles queriam perguntar sem me perguntarem directamente, e eu mais ou menos participava no jogo, sem dar muita importância, porem a roer-me por dentro.

Havia quem dissesse não fiques assim, não tem importância, e se calhar não tinha. Aquilo soava-me a facadas nas ecostas, mesmo que não fosse.

 

Ser ou não ser, eis a questão.

 

Não via a hora de me vir embora e desejar que o assunto morra ali, mas amanhã mais pessoas saberão do diz que disse, até não faltar ninguém. Que eu tenha paciência redobrada, que eu gastei-a quase toda hoje.

Que seja forte.

 

A única coisa boa do dia foi ter sido destaque no Sapo. Yupy. Obrigado Sapo.

Pág. 1/3